segunda-feira, 13 de março de 2006



Aconteceu algo comigo neste final de semana que chega a ser cômico. Como sempre me meto em situações pelos amigos, que não sei não..rs...mas esta situação me fez pensar sobre as relações doentias, sobre as pessoas que passam a ser incovenientes e não sabem a hora de parar.

Eu não entendo, sinceramente, como existem mulheres que gostam de passar por situações constrangedoras. Mulheres que não têm amor próprio e insistem em algo que não poderá existir. Relacionamentos virtuais que não passarão disso.

Tudo bem. Também já vivi algo assim, me interessar por alguém nesse mundo virtual, mas até numa situação desta devemos ter discernimento e amor próprio.

Não importa, o sentimento quando bate é fogo, se virtual ou real, isso é o de menos . Ás vezes o virtual se torna muito forte porque aqui conhecemos primeiro o "eu" de cada um. Não é aquela questão visual, beleza física.

Aqui nos ligamos ao que a pessoa é,ao que ela sente, mas infelizmente nem todos são o que se dizem ou demonstram. Existem muitos personagens, cabe a nós tentarmos não nos enganar.

Uma brincadeira, uma ligação mais forte com alguém pode nos trazer algumas surpresas e consequências não muito agradáveis.

(Meu amigo por exemplo, está colhendo aquilo que plantou, tem uma louca em seu pé)

Como eu disse no início, participei de uma situação inusitada. Um amigo tentava fazer uma pessoa entender que não queria nada com ela, além da amizade. Essa pessoa há tempos havia se tornado incoveniente fazendo com que ele tomasse algumas decisões como bloqueá-la no orkut, no msn, não atendia aos telefonemas, mas esta pessoa sempre dava um jeito de tentar entrar em contato. E ficou assim por um bom tempo até que ele a desbloqueou neste final de semana. Resumindo, ela insistiu na situação e ele demonstrou a insatisfação dele.

Diante dessa insatisfação eu disse a ele que se quisesse eu participava da conversa e diria a ela o quanto estava sendo incoveniente. Falei brincando, mas ele me colocou na conversa. Bom, não preciso dizer que a moça não gostou e mesmo assim tentei mostrar a ela o quanto aquela situação era chata, que ela parecia não entender o português claro.

Olha, sinceramente acho que nós mulheres somos poderosas se soubermos agir com a razão e a emoção.Não podemos deixar que um sobreponha ao outro. Pois quando somos racionais demais ou emocionais demais, nem sempre tomamos as atitudes corretas.

Também não podemos deixar que nossos instintos insanos tomem conta de nossos atos. Devemos sempre, eu disse sempre, nos colocar acima de qualquer um. Quando digo isso, não é querendo menosprezar ninguém,pisar em ninguém, mas sim lembrar que temos que ter nosso amor próprio latente, temos que ter discernimento diante das situações.

Me digam qual é o homem que suporta mulheres que grudam feito chiclete, incovenientes, que não conseguem entender quando uma relação (mesmo que essa relação seja fictícia) acabou, que continuam insistindo achando que desta forma estará agindo corretamente?

Sinceramente, não sou homem, mas eu tenho certeza que nenhum gosta, do mesmo modo que eu não suporto homem assim.

Não sei se acontece com vocês, mas quando me interesso por alguém e percebo que da outra parte não há o mesmo interesse, não insisto. Acho humilhante me dispor a ter migalhas de interesse, de atenção.

Você pode dizer: ah, mas você desiste muito fácil. Não, não é isso, Tento uma última cartada,mas se eu perceber que não dá, ponto final. Posso sofrer, claro que posso! Mas ele não será o único homem que passará pela minha vida. Tentarei guardar as boas lembranças e seguir adiante.Se puder manter a amizade, melhor ainda,mas o meu amor próprio tem que ser maior do que tudo.

Fico impressionada com a insanidade destas pessoas. Mas o que mais me impressionou mesmo não foi nem a insistência, foi o fato de no final da conversa ela deturpar tudo e misturar religião com o que estava acontecendo. Isso porque ela é evangélica e nós (eu e meu amigo) somos espíritas. Na falta de argumentos ela nos chamou de pessoas demoníacas, menosprezou o fato de termos uma crença diferente da dela.(Por sinal este será um assunto que abordarei em um dos próximos post's.)

Concluindo, bom senso nunca é demais. O problema é que nem todos sabem usá-lo.

OBS: Depois da conversa, da "menage a trois", a moça em questão ligou 16 vezes para o meu amigo , me descobriu no Orkut e deixou um recadinho muito meigo, me chamando até de feiticeira (Ô povinho de mente pequena)..rs.

5 comentários:

Roberta disse...

Bom dia, tudo bem?
Vc disse tudo...insistir em algo que não vai te levar em nada é perda de tempo,as vezes nos iludimos e sabemos muito bem que estamos sendo iludidas ,mas mesmo assim continuamos.Mas tem sempre aquela hora em que a ficha cai.Pode demorar mas em algum momento nosso amor próprio vai falar mais alto.
Agora, cuidado com as loucas soltas por aí...rsrsrs,sei que me entendeu...rsrsrsrsrsrs
bjs e boa semana

Kall disse...

Prima acabo de me meter num rolo parecido,pessoas doentias e sem carater nos pegam no momento errado e a gente acaba se levando,isso deve ser realmente falta de malicia da minha parte.
so sei que a partir de agora vou arcar com meus atos.Bjo prima.

Nana disse...

Nossa que coisa. Eu acho rídiculo pessoas que levam a sério relacionamentos virtuais, sinceramente.
Se quer ter um relacionamento, saia mais, viva a vida não "virtualmente" mas viver aquilo que a nossa vida proporciona.
Ah tanta indignação com isso.
Muitas pessoas PRÓXIMAS, bem próximas de mim já se enfraqueceu com isso: é rídiculo e vergonhoso.

Mas feiticeira, opx...hehe...Mas Ana, essa mulher deve estar correndo atrás agora por orgulho, não acha} Sei lá, esse povo é muito doidinho!

Um beijo!!!

Anônimo disse...

Concordo com tudo ae em cima....Só posso rir né Tia Ana? Kkkkk

Alan disse...

Concordo com tudo ae em cima....Só posso rir né Tia Ana? Kkkkk