domingo, 7 de março de 2010

Quem Sabe Eu Me Torne uma "Polyana"...



Sexta-feira tive um final de tarde meio tenso. Uma reunião. Palavras sendo despejadas sem direito a resposta e no final somos aconselhadas a brincar de "Brincadeira do Contente" , aquela do livro Polyana que muitos de nós deve ter lido na infância. A temática é interessante pois consiste em ver sempre o lado bom das situações, mas em certos casos ela não se aplica.

Naquele momento o certo seria ouvir as partes e descobrir porque havia chegado naquele ponto. Mas é muito fácil ditar sua regra ao invés de escutar as opiniões e saber que as situações nem sempre se baseiam em vaidades ou ciúmes, mas em mágoas. Mágoas que não será uma brincadeira do contente que irá apagar ou diminuir. Uma conversa sim, onde tudo poderia ser dito, discutido, esclarecido e depois - quem sabe - ser passado uma borracha.

É muito fácil em sua posição de "poder" falar o que pensa, o que quer, sem dar ao outro o direito da resposta, de defesa, ou simplesmente o direito do desabafo. Na minha opinião não é desta forma que se resolvem as coisas....mas enfim, vou tentar digerir o que tenho sentido e quem sabe me tornar uma "Polyana".

Engraçado é que as vezes me acontecem umas coisas meio non sense e nesta sexta tensa uma janela no meu msn pisca e uma pessoa que nem conheço pessoalmente e nem costumo conversar me faz uma pergunta: "Como eu faço para terminar um noivado?" ...Ãhnn, como assim??? Fiquei tentando entender como uma pessoa faz uma pergunta destas para outra que nem sabia que esta era noiva, no caso, noivo.

Pensei: esta pessoa escolheu o pior momento para me pedir conselhos ou pensando melhor, poderia ser a pessoa ideal, pois naquele momento eu também estava com muita vontade de romper com o meu "relacionamento", aquele que estava me fazendo mal, que havia me magoado e me tirado algumas lágrimas. Aquele que me faz hoje pensar em tudo que deixei para trás, ou deixei de viver, porque ele me completava.

Por ele passava noites acordadas, virava dias sem dormir, tudo sem reclamar.

Por ele já adoeci, já tive até suspeita de derrame, mas era apenas estresse e estafa,mas nada disso importava, poque eu o amava. Por ele acabei me afastando das pessoas por não ter tempo de curtir um barzinho, de curtir uma praia....poucas são as vezes que usufruo destes prazeres.

Por ele não importava o lugar, as condições, eu estava lá. Por ele fiz muitas concessões, para que hoje nosso relacionamento ficasse assim, baseado em uma brincadeira. Se pensar bem, a relação sempre foi baseada nesta brincadeira do contente, pois sempre via apenas o lado bom das coisas, das situações, mesmo que as pessoas ( sábias ) que estavam de fora disessem para que eu enxergasse a real daquele relacionamento.

As vezes precisamos manter as aparências pois o relacionamento, naquele momento, é primordial para a nossa sobrevivência.

Ah, o nome dele? Ele se chama TRABALHO.

E quanto a pessoa que me pediu o conselho...bom, amanhã penso melhor...

2 comentários:

Olavo disse...

O cara faz um esforço desgraçado para ficar rico pra quê?
O sujeito quer ficar famoso pra quê?
O indivíduo malha, faz exercícios pra quê?
A verdade é que é a mulher o objetivo do homem.
Tudo o que eu quis dizer é que o homem vive em função de você.
Vive e pensa em você o dia inteiro, a vida inteira. Se você,mulher, não existisse, o mundo não teria ido pra frente.
Homem algum iria fazer coisa alguma na vida para impressionar a um outro homem, para conquistar um sujeito igual a ele, de bigode e tudo.
Um mundo só de homens seria o grande erro da criação. Já dizia a velha frase que "atrás de todo homem bem-sucedido existe uma grande mulher". O dito está envelhecido. Hoje eu diria que "na frente de todo homem bem-sucedido existe uma grande mulher".
É você, mulher, quem impulsiona o mundo.
É você quem tem o poder, e não o homem. É você quem decide a compra do apartamento, a cor do carro, o filme a ser visto, o local das férias. Bendita a hora em que você saiu da cozinha e, bem-sucedida, ficou na frente de todos os homens.
E, se você que está lendo isto aqui for um homem, tente imaginar a sua vida sem nenhuma mulher. Aí na sua casa, onde você trabalha, na rua.
Só homens.
Já pensou?
Um casamento sem noiva? Um mundo sem sogras?
Enfim, um mundo sem metas.
Jabor

Feliz dia Beijos

Kall disse...

Ah prima pensei tanto em vc no fds...espero que tenha saido tudo bem...ou pelo menos que as coisas estejham mais calmas p vc poder seguir com esse seu AMOr que todos sabemos ser verdadeiro...afinal vc ama o qe faz.
Um beijo