quarta-feira, 16 de novembro de 2005

CONVERSANDO COM UMA AMIGA....

Semana passada estava conversando com uma amiga e ela me falava do vazio que sentia por não ter encontrado a pessoa destinada a ela. A famosa tampa da panela, a outra metade da laranja, a alma gêmea. O assunto começou depois que ela me mostrou a comunidade no Orkut "Eu sei que você existe".

Bom, fico aqui pensando nesse assunto que tantas vezes já escrevi e sempre tiro uma nova conclusão.

Nos detemos demais na busca do outro e esquecemos de nós mesmas. Buscamos sempre a relação perfeita mesmo sabendo que elas não existem ( somente em contos de fadas). E nós, mulheres, por nossa característica singular, costumamos dar vazão ao romatismo, verbalizando, sonhando com o "príncípe encantado",mas não podemos esquecer que a realidade é bem diferente daquilo que costumamos sonhar e muitas vezes são os "sapos" que irão preencher o vazio que sentimos.

O que precisamos é estar abertos para o relacionamento, mas para isso precisamos descobrir alguém muito importante e que irá ajudar bastante nessa "busca" que somos nós mesmas. Antes de procurarmos a alma gêmea, devemos descobrir nossa alma e perceber como somos realmente.

O problema é que por sabermos que existe alguém destinado a nós, ficamos esperando
passivamente esse encontro. Muitas vezes passamos por ele e nem nos damos conta, exatamente por idealizarmos demais.

Acreditamos que iremos encontrar alguém igual a nós e esquecemos que as diferenças fazem a relação, pois iremos aprender muito com o outro.

Pensamos que iremos encontrar a pessoa perfeita. Não adianta, não iremos encontrar alguém que preencha todos os requisitos que previamente definimos e também não irão atingir todas as nossas expectativas. Precisamos perceber que estas diferenças são estímulos para o relacionamento.E acredito que é através destas diferenças que poderão se completar.

Essa minha amiga acha que não encontrará a sua outra metade nessa vida por não ter conquistado esse direito em vidas passadas. Mas como ter essa certeza?

O que seria a nossa "alma gêmea"?

Seria a princípio aquela pessoa com quem nos damos muito bem, parece que conhecemos há muito tempo mesmo que esse tempo não passe de uma semana,é aquela pessoa com quem temos uma sintonia, que nos engrandece, nos ensina e nos ajuda a crescer,que nos conhece melhor do que nós mesmos,existindo a reciprocidade,entre outras tantas características. Ao encontrar alguém assim esperamos tê-lo como companheiro,pensamos em construir uma vida ao seu lado e viver feliz para sempre(típico conto de fadas).

Mas espera, será que a relação com essa pessoa é eterna?

Podem acontecer tantos percalços pelo caminho que poderá separar estas duas metades novamente. E quem garante que essa alma gêmea será a pessoa que, afetivamente, teremos uma relação? Ela pode estar ao nosso lado de uma outra maneira, pode ser um irmão, mãe, pai, amigo...por isso acredito que não existe apenas uma alma gêmea.

Temos sim almas afins com quem podemos desencadear qualquer tipo de relacionamento.
Em toda nossa existência haverá o reencontro. Eu tenho praticamente a certeza de alguns reencontros nessa vida. Acredito até mesmo que tenha encontrado a minha tampa e a tenha perdido em muitas das minhas mudanças.

Já me apaixonei à primeira vista. Senti aquele frio na espinha quando nossos olhares se cruzaram, ao conversar parecia que nos conhecíamos há muito tempo, da conversa fluir naturalmente por horas e não querer sair de perto dessa pessoa. Passamos dois anos maravilhosos, mas que se perderam.

Ninguém (ainda)preencheu realmente esse vazio que se fez, mas não vou deixar de viver e achar que não poderei preencher.

Nos tornamos tão fatalistas achando que nunca iremos encontrar alguém que irá nos fazer bem,que nos amará de verdade e deixamos de ver o colorido da vida. Deixamos de perceber que pode ter alguém do nosso lado que poderá nos fazer feliz, só basta darmos uma chance.

Costumamos apostar nossas fichas em relacionamentos lúdicos e acabamos nos decepcionando e a cada decepção o vazio aumenta e parece que nossas forças se perdem no caminho.

Essa busca obssessiva por aquele que irá preencher esse vazio nos veda os olhos muitas vezes. Não podemos deixar de acreditar que o vazio irá ser preenchido. Que aquela dor que sentimos não irá passar.

O que precisamos mesmo é crescer e acreditar em nós mesmos. Acreditar que para sermos felizes não dependemos de outro. Acreditar que no dia que o outro chegar em nossa vida será para completar essa felicidade.

Recadinho para minha amiga: olha, sei o que sente. Sei como dói a decepção. Sei como ficamos sem chão quando nos descobrimos enganadas, ludibriadas, feridas. Sei como é difícil descobrir que aquele sentimento que acreditava ser tão forte e verdadeiro não é aquilo que esperava. Dói, dói muito. Mas não deixe nunca de acreditar que ali na esquina você pode esbarrar em alguém que irá completar a sua felicidade. Mas acredite em você, na sua força. Esse vazio fica cada vez maior quando você faz com que ele tome conta de você,quando deixa ele mandae em você. Acredite, você é que manda nele.

Sabe o que acontece quando ficamos esperando essa nossa "tampa da panela"? Olha aí a foto..rs

12 comentários:

Bel Palhares disse...

Adorei!Tudo de Bom!Luzzzz Divina prá vc.Byeee.

Bel Palhares disse...

Adorei!Tudo de Bom!Luzzzz Divina prá vc.Byeee.

Ly disse...

ai, ai, ai... ñ é pra menos que somos mais que amigas, te considero uma irmã, minha 'maninha', "Irmãmiga", né? Bem, não minto, é como me sinto mesmo; e vc sabe a confusão q está agora... a esperança brigando com a desconfiança, quero acreditar q é possível... mas, existem traços q levam a crer que ñ passa de "+ uma vez, + uma desilusão"... ah, sei lá... tudo tão confuso.
O post está maravilhoso, vc sempre encontra palavras tão belas pra escrever sobre as coisas do coração, e que de um jeito ou de outro é sempre tema comum entre a gente.
Estou caminhando. Parar, eu não consigo nem quero! Mas, esse caminhar tem que ter destino, ou torna-se apenas um ato-reflexo; vai uma perna a frente da outra e assim vai caminhando a humanidade...
Beijo grande e abraço apertado, minha querida amiga-irmã e sim, alma afim! Com certeza!
Tô sempre aqui. Sempre sempre que precisar!

Patty disse...

Aninha

Essa foto é ótima hein??? kkkkk
Concordo com vc e seu texto é excelente, menina como vc escreve bem.

Bem,tô passando pra te desejar um bom final de semana pq tô com preguiça de abrir o orkut...rs, Tá lerdinho coitado!

Beijos!!!

Ps: adorei seu comentário lá sobre a musica,hj coloquei um poeminha do Gabriel meu anjo!

Jana disse...

Quando eu parei de procurar, minha tampa veio voando!!!

Cuide do jardim pra receber as borboletas e não tente caça-las!

beijos

Kall disse...

Show de bola esse post prima.
Esse trecho então é fantastico..."O que precisamos mesmo é crescer e acreditar em nós mesmos. Acreditar que para sermos felizes não dependemos de outro. Acreditar que no dia que o outro chegar em nossa vida será para completar essa felicidade.

Bjo grande e boa semana.

Geninho disse...

por indicação da Kallzinha passei or aqui.gostei do que vi.já tive um blog,mas o tempo fez ele sumir...hehehe
bem,como já encontrei minha "tampa" estou bem mais tranquilo do que aquela mulher da foto ,hehehehehe...
penseo que vale a pena acreditar num garnde amor,desde que nos amemos primeiro.isso eh,valorizarse,cuidarse,saber respeitar os proprios limites ( até de esperar) etc.

Beijo

geninho

Elza disse...

Acredito que antes de mais nada um pessoa de gostar de si, respeitar-se e admiriar-se para depois encotnrar uma parceria, que, completa os traços mais marcantes do outro. As alegrias e o beme star de uma relação deve estar dentro de cada um para tornar o duo agradável. Ninguém traz a felidicade para o outro. Amor incondicional, nem de cachorro... Bjkª da Elza

Navegando com o Álvaro Míchkim disse...

Aninha, com os homens é a mesma coisa.A tampa da minha panela de vez em quando também cai no chão. Coitadinha, já está cheia de "marquinhas", mas sem ela eu fico não, pois daí, entristecido,não posso ficar na mão, pois sem a tampa da minha panela na minha casa na mesa não vai o arroz com feijão!
Eu estou meio brigadinho com minha esposa e mesmo assim lembrando dela. Deve ser amor! :)

Patty disse...

Só olhando....Beijos e bom dia!!

Roberta disse...

Como vc disse,sempre estamos na busca obsessiva de preencher o vazio que existe em nós,mas esquecemos de nos olhar primeiro...
Tem um livro da Zibia Gasparetto cujo título Ninguém é de Ninguém ,nos mostra que sofremos porque que queremos, porque temos o pensamento de achar que somos "donos" da pessoa que amamos,mas no fundo só temos a nós mesmos...
Tenho certeza que achei a minha alma gêmea,mas não posso obrigá-la a ficar comigo,já fiz tudo que podia,mas como diz o livro,não podemos mandar no coração de outra pessoa,podemos sim , ajudar o nosso a amar sem esperar algo em troca...
Belo texto,parabéns

Ana Carla da Silva Nogueira disse...

ADOREIIIIIIIIII