terça-feira, 11 de outubro de 2005

PRODUZINDO NOSSAS PÉROLAS

Todos passamos por fases na vida. Fases em que nos sentimos feridos, amargurados, achando que nada dá certo e passamos a desacreditar nos sentimentos. Nos fechamos e passamos a não querer enxergar o que de bom pode estar nos acontecendo.

Nos fechamos dentro de nós mesmos como conchas. Não acreditamos nas novas oportunidades que a vida nos oferece todos os dias.

Um exemplo: passamos por vários relacionamentos que não deram em nada depois de apostarmos todas as fichas. Estes nos deixaram apenas feridas, cicatrizes e por causa disso os usamos como parâmetros para os relacionamentos posteriores.

Acredito que devemos deixar o passado no passado. Não devemos ter medo de encarar o novo.Devemos deixar as feridas, as mágoas, as decepções lá atrás e viver o que a vida nos oferta.

Todas as experiências são válidas para o nosso aprendizado,para o nosso crescimento interior.

Se fechar dentro de si é importante em determinadas épocas. Mas vamos nos fechar apenas para curar as feridas, nos fechar apenas para reavaliar. É um aprendizado doloroso, mas de tudo nós tiramos algo para crescermos como pessoa.

O tempo é o melhor remédio.

Nós temos uma imensa capacidade de nos regenerar e isso é o mais importante.

Se a vida nos dá novas oportunidades todos os dias, não devemos deixá-las passar sem ao menos tentar vivência-las. Somos puro sentimento e é inerente ao ser humano essa capacidade. Viver introspectivamente é não deixar a magia da vida agir por ela.

Devemos deixar o medo de lado,não deixar que ele nos paralize. Devemos acreditar em nós e em nossa capacidade de sermos sempre melhor, de sentir e de amar. Ninguém tem o direito de nos podar essas capacidades.

Se um relacionamento não deu certo, se um dia fomos enganada por belas palavras, não podemos achar que todos farão isso. É claro que um dia algo novo irá nos acontecer.

Então o importante é aproveitar as oportunidades sem pensar muito no futuro. Quando digo futuro, quero dizer, sem ficar pensando se poderá ou não dar certo, ou que poderá se ferir novamente.

Como dizem, o amanhã a Deus pertence. Vamos viver o momento e fazer dele algo delicioso, algo que poderá ficar em nossas lembranças, mesmo que esse momento seja fulgás.

Do que adianta cogitar o que poderá acontecer amanhã? A ansiedade de dar tudo certo, o medo de sofrer novamente, isso acaba minando o relacionamento antes mesmo de acontecer.

A vida deve ser vivida da melhor maneira possível e por que não fazer algumas loucuras de vez em quando?

Vamos nos permitir viver. Vamos ser egoístas e viver intensamente nossos sentimentos. Não deixar apenas a razão gritar,mas deixar o coração falar também e acreditar que existem pessoas que realmente querem viver o sentimento e não apenas brincar.

Para isso é preciso coragem de encarar tudo o que vem pela frente.

Vamos sair da concha.Vamos abri-la e descobrir dentro dela uma linda pérola.

Para quem não sabe, as pérolas são produto da dor, é uma cicatriz, resultado da entrada de uma substância estranha no interior da ostra. A parte interna da ostra é formada por uma susbtância chamada nácar e quando, por exemplo, um grão de areia penetra no seu interior, as células do nácar envolvem o grão com camadas e mais camadas de nácar, protegendo o corpo indefesso da ostra, criando dessa forma uma linda pérola.

A pérola é uma ferida cicatrizada.

Vamos levar esse exemplo da natureza para a nossa vida. Lembrar que a as ostras que não são feridas, não produzem pérolas. Vamos produzir nossas pérolas e viver.

11 comentários:

Patty disse...

Aninha minha querida, q lindo texto!
Realmente trazemos tantas marcas conosco q parece impossivel amar de novo, acreditar de novo e continuar a viver.Mas, devemos sim produzir pérolas e viver. Obrigada pelo seu carinho no meu blog. Beijos e bom feriado pra vc tb.

Kall disse...

Prima prima so vc para me deixar assim viu sem o que dizer..rs
Vc que ja me conhece a mais de 1 ano sabe como sou brincalhona e tal,mas se tem um assunto que me deixa paralizada e timida são assuntos do coração,não sei lhe dar com ele,por isso sofro e geralmente me arrependo do que nao fiz,pois esse medo me impede de viver coisas,momentos que nunca mais viverei na vida.
Acho que aos poucos estou amadurecendo isso dentro de mim,mas ainda nao fui testada..rs.
Espero conseguir tirar de dentro de mim uma linda pérola..rs.
Bjo grande Aninha e obrigada pelo carinho e amizade de sempre.

Ly disse...

Maninha.. eu acabei deixando todo o comentário lá no Orkut. Mas, aqui repito: o post está maravilhoso. Mesmo!
Amei o final... Perolas... eu são sabia que assim eram criadas... Dores cicatrizadas. Muito boa a analogia... afinal, perolas têm alto valor no mercado, e as dores superadas têm grande importância em nossa vida.

Beijocas estaladas... Parabéns pelo talento!

Elza disse...

Crescer dói, né? Bjkª da Elza

Dono do Bar disse...

Belo texto, Aninha! Trata-se de uma grande verdade, embora nem sempre a coloquemos em prática. Aprender com os fracassos e as decepções talvez seja a mais dolorosa forma de se evoluir. Porém, é necessário assimilar as derrotas, tirar as lições e partir sempre para uma nova batalha.
Beijos e ótimo feriado!

Ps: Que bom que você voltou!

Jana disse...

Lindo texto. E vamos fazer de nossas feridas lindas pérolas!

Beijos

disse...

Que texto lindo,adoreiiiii

TADEU NOGUEIRA disse...

EITA,QUE BOM TER VC DE VOLTA ANINHA,ADORO VC MENINA,UM CHEIRO.

Patty disse...

óia, vortei...Só pra desejar um ótimo final de semana, tá? Beijos!!!!

Illusion disse...

Somos verdadeiras pérolas onde nos recolhemos em nosso lar que são as conchas e depois nos vemos livres... Beijos e saudades, volta pro zip.net?

MARtinha disse...

Não pensei por este lado... Linda lição de vida, Aninha. Muito sol na sua vida. Baci e ciao bella.